Número de empregos formais cresceu em abril, reporta o executivo do BMG, Marcio Alaor

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados no última dia 16 de maio, pelo Ministério do Trabalho, o mês de abril foi encerrado com números positivos para o mercado de trabalho formal. Durante o mês, foram registradas 1.141.850 contratações contra 1.081.994 dispensas, totalizando 59.856 novas oportunidades de emprego com carteira assinada. A informação foi veiculada logo após o governo federal revelar crescimento na economia de 1,1% durante o primeiro trimestre, reporta o executivo do Grupo BMG, Marcio Alaor.

Em 2017, abril foi o segundo mês com criação de empregos formais. Em fevereiro já haviam sido abertas 35.612 oportunidades de emprego – o primeiro resultado positivo nos últimos dois anos. Entretanto, o mês de março registrou fechamento de 63.624 postos de trabalho. Em abril de 2016 o mercado de trabalho formal havia assinalado o fechamento de 62.844 postos de trabalho.

Mesmo com os números positivos registrados em abril, no ano, o saldo ainda é negativo, com 933 vagas fechadas, noticia Marcio Alaor, do Grupo BMG. Contudo, apesar de negativo, o resultado dos quatro primeiros meses do ano é o melhor desde 2014 – no mesmo período 458 mil contratações foram realizadas. Os primeiros quadrimestres de 2015 e 2016 registraram, respectivamente, o fechamento de 137 mil e 358 mil vagas de trabalho. No ciclo encerrado entre abril do ano passado e o deste ano, 969.896 trabalhadores formais foram demitidos.

Dados do IBGE complementam

O levantamento divulgado pelo Ministério do Trabalho utilizam como base dados primária informações fornecidas pelas empresas que contratam – ou seja, engloba apenas empregos formais. O estudo do IBGE – que também inclui o mercado de trabalho informal – retrata de forma mais fiel a dinâmica do mercado de trabalho brasileiro. Utilizando o método estatístico de pesquisa por amostragem, o levantamento do IBGE, que será divulgado ao final de maio, também leva em consideração as pessoas que estão em busca de emprego, cita o executivo do Grupo BMG, Marcio Alaor.

Desemprego ainda em alta

O último estudo disponível é referente ao primeiro trimestre do ano e revela que o número de desempregados no país é de 14,2 milhões de pessoas. O resultado representa um aumento de 27,8% em comparação ao mesmo período de 2016 e de 14,9% a mais, em relação ao último trimestre do ano passado. Desta forma, o desemprego afetou 13,7% da população economicamente ativa nos três primeiros meses do ano. Conforme noticia Marcio Alaor, do Grupo BMG, este índice é 2,8% maior que o registrado no mesmo período de 2016 e 1,7% superior à registrada no último trimestre do ano passado.

Já a análise do mercado formal evidencia um comportamento semelhante ao do mercado de trabalho geral. O total de pessoas empregadas com carteira assinada nos três primeiros meses do ano era de 33,4 milhões – 3,5 pontos percentuais a menos que o mesmo período do ano passado. Este resultado é o pior já registrado desde janeiro de 2012, quando o levantamento começou a ser realizado, reporta o executivo do BMG, Marcio Alaor.

 

 

O olfato humano é parecido com o dos cães

 

Image result for O olfato humano é parecido com o dos cães

Uma pesquisa revelou que o olfato humano é tão bom, quanto o de outros animais existentes no planeta. O cachorro, por exemplo, consegue detectar determinados odores, como o da urina, melhor do que os seres humanos. Ratos também possuem um excelente olfato, enquanto que os seres humanos são capazes de avaliar, os diferentes odores de um bom vinho, apontou um grupo de cientistas na semana passada.

Essa suposta incapacidade da raça humana, para diferenciar os diversos cheiros, não passam de um mito, existente há séculos, segundo os pesquisadores.

Para o principal autor dessa pesquisa, o professor adjunto de Psicologia John McGann, da Universidade de Rutgers, em Nova Jersey, existe uma crença de que pessoas racionais, não podem fazer as suas ações, seguindo o sentido do olfato, como no caso dos animais. Ele afirmou também, que o bulbo olfativo dos seres humanos, responsáveis por fazer a transmissão dos sinais para outras regiões do cérebro e que ajudam na identificação dos odores, tem um desenvolvimento parecido com o de outros mamíferos, apresentando quantidades parecidas de neurônios.

Essa pesquisa mostra também, que os humanos podem diferenciar até um bilhão de aromas diferentes, tendo muito mais capacidade do que os dez mil declarados nos Manuais de Psicologia.

Seguindo esse estudo, o ser humano pode ser comparado aos cães e aos ratos, que são animais conhecidos por possuírem faros com grande reputação e são considerados os melhores rastreadores entre os animais.

Esse mito sobre o olfato humano, vem desde o século XIX, quando o neurologista e antropólogo francês, Paul Broca, assegurou que o aparelho olfativo humano era restrito. Seguindo essa teoria, os homens sendo diferentes dos animais, teriam que depender da sua inteligência, para obter a sua sobrevivência, e não apenas o seu olfato.

Até mesmo Sigmund Freud, o precursor da psicanálise, foi influenciado por essa teoria, concluindo que essa inferioridade olfativa, deixava os humanos mais sensíveis às doenças mentais.

Esse pensamento de que o ser humano tinha um olfato inferior, permaneceu por várias décadas, sendo alimentado por estudos com ratos e ratazanas, que concluíram que eles possuíam mil diferentes receptadores sensoriais, ativados por odores, enquanto que os humanos, cerca de quatrocentos.

Segundo John McGann, não existem indícios que comprovem, que um lóbulo olfativo maior em comparação ao restante do cérebro, seja um fator determinante na superioridade do olfato.

O pesquisador ainda afirma que, a possibilidade de sentir diversos tipos de odores, vão permitir que os seres humanos, aumentem a sua capacidade de sentir emoções e reviver lembranças, melhorando a sua capacidade de restabelecimento numa situação pós-traumática.

Com a idade ficando mais avançada , é normal que aconteçam as perdas olfativas , podendo aparecer também problemas de memória e doenças neurológicas, como o Mal de Parkinson ou o Mal de Alzheimer, revelam os pesquisadores.

 

Você sabe o que é Hiperidrose?

Resultado de imagem para hiperidrose

Provavelmente você nunca ouviu falar o nome hiperidrose, mas conhece ou conheceu alguém que transpira demais, não é verdade?

Então, hiperidrose nada mais é, do que uma condição que faz a pessoa suar excessivamente, mesmo sem estar praticando atividade física, com calor ou nervoso.

O suor é um mecanismo natural do corpo humano em diversas situações, como quando se deseja diminuir a temperatura corporal. Nesse sentido sempre que estamos com calor, ou após o corpo realizar algum tipo de esforço, nossas glândulas sudoríparas produzem suor.

Na hiperidrose essa produção de suor é excessiva e mesmo quando o indivíduo está em repouso há uma sudorese anormal.

Ainda não se sabe o porquê deste distúrbio, mas o que se nota é que está relacionado a fatores hereditários e emocionais.

Existem algumas áreas no corpo que são mais propensas à sudorese excessiva, são elas axilas, palmas das mãos, rosto, cabeça, virilha e planta dos pés, e a sudorese nesses locais pode ser um incomodo e pode causar constrangimento, principalmente nas mãos e axilas.

Felizmente a medicina possui alguns tratamentos para esse problema que acomete cerca de 3% da população, os tratamentos vão desde medicamentos tópicos, a cirurgias, cada um possui seus benefícios e malefícios, cabendo então a você e seu médico discutir até achar a melhor solução.

Tratamentos

– Antitranspirantes específicos = diferentes daqueles encontrados em mercados, estes produtos podem resolver seu problema.

– Medicamentos = algumas drogas têm como efeito a diminuição da sudorese a longo prazo, nas axilas, face, mãos e pés. Eles diminuem a atividade da glândula produtora de suor. No entanto elas podem causar “boca seca”, tontura e não é recomendado para pacientes com glaucoma, problemas intestinais e urológicos.

– Iontoforese = é uma técnica em que a região afetada, mãos e pés, é colocada em uma solução salina e uma corrente elétrica é ativada, “desligando as glândulas”, no entanto são necessárias várias sessões, e a sudorese pode voltar.

– Toxina botulínica = essa é uma das técnicas mais utilizadas hoje, em que a toxina botulínica é aplicada na região afetada, diminuindo a sudorese. Tem como desvantagens o fato de seu efeito acabar dentro de alguns meses, sendo necessária nova aplicação.

– Simpatectomia = cirurgia em que uma porção do nervo que irá inervar as glândulas são cortados, a fim de se “desligar” as glândulas.

– Curetagem / Lipoaspiração das glândulas = é uma cirurgia minimamente invasiva em que parte da derme e hipoderme, locais mais profundos da pele e onde estão localizadas as glândulas, são retiradas, diminuindo drasticamente com a sudorese do local.

A hiperidrose é um problema sério, que causa grande impacto na qualidade de vida. Procure um médico especializado e busque o melhor tratamento para seu caso.

 

 

Felipe Montoro Jens reporta os projetos de PPPs para melhoria do Rio de Janeiro

As PPPs, Parcerias Público Privadas, têm sido grandes aliadas da Administração Pública. Elas são consideradas excelentes alternativas para os investimentos públicos, tão necessários à melhoria da qualidade de vida da sociedade brasileira.

Felipe Montoro Jens, especialista em projetos de infraestrutura, reporta que as PPPs foram utilizadas por Eduardo Paes, do PMDB, ex-prefeito da cidade do Rio de Janeiro, quando estava no comando da prefeitura.

Projetos como Parque Olímpico, Porto Maravilha e o Veículo Leve sobre Trilhos, conhecido como VLT, foram viabilizados na gestão de Eduardo Paes, e continuam sendo prioridades da prefeitura, agora com Marcelo Crivella, do PRB, como prefeito da cidade, cita Felipe Montoro Jens.

Logo que assumiu a Prefeitura do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella publicou 80 decretos. Dentre eles, quatro têm como foco a implantação de PPPs, sendo (i) a municipalização do Maracanã, (ii) a concessão das atividades de saneamento da zona oeste, (iii) a municipalização do Teatro Municipal e (iv) a municipalização do Museu da Imagem e do Som pela Secretaria de Projetos Estratégicos, reporta Felipe Montoro Jens.

Outro projeto de Parceria Público Privada apresentado está relacionado à melhoria da iluminação pública da cidade do Rio de Janeiro. O especialista em projetos de infraestrutura menciona que a Subsecretaria recebeu a tarefa de apresentar um cronograma para uma PPP com esse foco, em parceria com a Rioluz, empresa pública de energia e iluminação. Felipe Montoro Jens reporta que a ideia é ampliar, melhorar e modernizar a iluminação da cidade, em especial nas regiões com maiores índices de violência da cidade.

Com relação à educação infantil, o especialista em projetos de infraestrutura cita que o prefeito solicitou a apresentação de um plano, num prazo de 60 dias, contado a partir da data em que assumiu o cargo em primeiro de janeiro. Felipe Montoro Jens menciona que a ideia de Marcelo Crivella é criar mais de 20 mil vagas nas creches e 40 mil na pré-escola até o final de 2020.

De acordo com Maurício Santoro, cientista político e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a UERJ, o foco dado às Parcerias Público Privadas pelo atual prefeito Marcelo Crivella logo no início do mandato é uma reflexão do momento macroeconômico recessivo que o País enfrenta. Além disso, é uma tentativa de afastamento da administração anterior de Eduardo Paes, do PMDB “e a tudo que o partido significou para a falência do Estado do Rio” comenta Maurício Santoro.

A assessoria de imprensa da Subsecretaria de Projetos Estratégicos, que atua com o Gabinete do Prefeito, reporta que os estudos que priorizarão os projetos relacionados às áreas de educação, segurança pública, saúde, saneamento básico e mobilidade urbana já estão sendo preparados.

Ou seja, o atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, do PRB, que anunciou logo no primeiro dia de seu mandato diversos projetos com foco nas Parcerias Público Privadas relacionados à melhoria da iluminação pública, à municipalização do Maracanã, do Teatro Municipal e do Museu da Imagem e do Som, ao saneamento da zona oeste e à evolução da educação infantil da cidade do Rio de Janeiro, aposta ser esse o caminho mais eficaz para melhorar a gestão e a qualidade da administração desses bens públicos.

Sobrepeso e Obesidade: Um Problema Crescente

Resultado de imagem para obesidade

O sobrepeso e a obesidade são problemas de saúde pública que crescem cada vez mais. O advento de um mundo mais tecnológico, diminuindo a prática de atividade física, e o consumo de alimentos industrializados têm contribuído para esse problema.

A obesidade é uma doença crônica, ou seja, tem tratamento, mas não tem cura. Por isso o paciente tem que se conscientizar que terá o problema para o resto da vida, sendo assim será necessária uma mudança no estilo de vida e não uma dieta que dure alguns meses apenas.

O aumento do peso, além dos limites da normalidade, pode trazer prejuízos não só do ponto de vista estético, mas também do ponto de vista do bem-estar e da saúde. Dentre os problemas relacionados com a obesidade podemos destacar aumento do risco de desenvolver doenças cardiovasculares como infarto agudo do miocárdio, diabetes mellitus, aumento de colesterol ruim, hipertensão arterial, doenças do fígado, pedra na vesícula, dores musculares e nas articulações, dentre outros.

No tratamento da obesidade deve-se atentar para duas questões principais, lembrando sempre que deve haver um acompanhamento com profissionais qualificados para esse tratamento.

A primeira mudança que o paciente deve ter está relacionado com a alimentação. De um modo geral procura-se realizar uma substituição dos alimentos industrializados pelos naturais, ou seja, quanto mais alimentos naturais o paciente ingerir, melhor serão os resultados. Associado a isso, é importante também uma redução da ingesta de sal, gordura e açúcar. Tudo isso deve ser acompanhado por uma nutricionista, principalmente naqueles casos mais especiais como no idoso, nas crianças e nas pessoas com alguma doença instalada.

Depois de uma reeducação alimentar, o paciente deve buscar a prática de alguma atividade física regular, que irá principalmente causar uma melhora no bem-estar físico e mental e uma redução calórica, resultando na perda de peso. Para atingir esse objetivo é necessária uma frequência na prática dessa atividade física, que tenha relativamente uma alta frequência, a depender do indivíduo, e ocorrer pelo menos 3 vezes por semana.

Além disso, temos que ficar atento àqueles casos em que há um distúrbio psicológico, ou seja o paciente tem uma compulsão alimentar por exemplo, uma ansiedade e isso é a causa dessa elevada ingesta alimentar e do ganho de peso.

A Organização Mundial da Saúde classifica a obesidade como um dos principais problemas de saúde pública no mundo. No Brasil, estudos afirmam que cerca de 50% da população tem sobrepeso ou obesidade. Nesse sentido, é preciso que a população veja a obesidade como uma doença crônica e que comece c realizar mudanças no estilo de vida, a fim de evitar que essa doença se agrave e gere outras patologias graves para o indivíduo. Para isso, procure sempre um profissional qualificado.

Entenda mais sobre a doença celíaca

 

Image result for celiacos

Se você está sofrendo com dores de estômago e problemas digestivos todos os dias, você não está sozinho. Milhares de pessoas vivem com problemas digestivos, e poucos se sentem confortáveis o suficiente para dizer aos seus médicos. Apesar do desconforto, você deve procurar ajuda para diagnosticar a causa subjacente. Você pode estar sofrendo de doença celíaca.

O básico

A doença celíaca é uma reação do sistema imunológico ao glúten, uma proteína frequentemente encontrada no trigo e seus derivados. Por causa do sistema imunológico de um paciente celíaco reagir a qualquer glúten no intestino delgado, a reação prejudica o intestino ao longo do tempo.

Como o intestino torna-se cada vez mais danificado, o corpo não pode mais absorver nutrientes adequadamente, levando a má absorção e desnutrição. Muitas vezes, as pessoas diagnosticadas com doença celíaca têm anemia, deficiências vitamínicas, fadiga e perda de peso.

Embora os pesquisadores ainda estejam investigando possíveis causas, um novo estudo está dando uma nova visão da doença. O estudo descobriu que o reovírus geralmente inofensivo, pode desencadear uma resposta imune ao glúten.

Normalmente, o reovírus apresenta-se como uma infecção respiratória superior ou gastrointestinal, mas os médicos não associam com uma doença grave. Neste estudo, no entanto, os pesquisadores descobriram que os pacientes celíacos tinham altos níveis de reovírus, anticorpos no sangue.

Diagnóstico da doença celíaca

Diagnosticar a doença celíaca pode ser complicado. Os sintomas incluem inchaço, dor de estômago, diarreia ou constipação, fadiga e anemia. No entanto, muitos dos sintomas caracterizam a síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, ou uma intolerância simples ao glúten.

Para diagnosticar a doença celíaca, o seu médico terá de olhar para a sua família e para o seu histórico médico em primeiro lugar. Ele pode precisar realizar um exame físico curto, procurando distensão, sons irregulares e dor de estômago. Se o médico suspeita de doença celíaca, ele normalmente ordenará uma série de exames de sangue que procuram certos anticorpos.

Ainda assim, a maneira mais precisa de confirmar um exame de sangue positivo será através de uma biópsia intestinal chamada endoscopia. Através da biópsia, o médico pode ver se você tem qualquer dano à parede intestinal e confirmar a doença celíaca de uma vez por todas.

Mudanças de estilo de vida

Atualmente, os médicos não têm nenhuma medicação ou tratamento especial que pode combater a doença celíaca. Em vez disso, você simplesmente tem que fazer mudanças de estilo de vida. Você deve curar os danos no seu intestino delgado, evitando o glúten a todo custo.

No início, você pode se sentir sobrecarregado com a mudança. Você terá que aprender quais alimentos evitar e quais ingredientes escondidos podem conter glúten. Não importa o que você faz, no entanto, você tem que ficar longe de glúten.

Felizmente, muitas empresas de alimentos estão produzindo produtos sem glúten que podem facilitar a transição para você e seus amigos amantes da comida. Você ainda pode desfrutar das versões sem glúten de seus pratos favoritos também, incluindo massas e pães.

 

Conheça o “Pelas Ruas”, aplicativo de utilidade pública de Duda Melzer

O Grupo RBS lançou um aplicativo de utilidade público que permite aos usuários mostrar os problemas da cidade. Trata – se de uma iniciativa que alinha os interesses da população com a capacidade dos meios de comunicação de informar e atender aos anseios do povo. Saiba mais.

O aplicativo “Pelas Ruas” possibilita aos usuários apontar falhas e problemas presentes na cidade e apontá-los no mapa. Ele parte da premissa que é dever do jornalismo auxiliar a contornar as necessidades da sociedade. O app foi desenvolvido pelo Grupo RBS, composto da TV RBS, Zero Hora e Rádio Gaúcha, o qual o administrador Duda Melzer é presidente e chairman.

Funciona assim: o usuário nota o problema, tira uma foto e envia para o app. Juntamente com ela, é preciso escrever uma pequena descrição relatando o problema, suas causas e possíveis soluções.

Além de ser usadas nas pautas das reportagens, essas informações podem ser vistas pelos órgãos competentes. O intuito é estreitar a relação entre a população, os meios de comunicação e o poder público, uma vez que as autoridades são sinalizadas quanto aos problemas identificados pelos moradores.

Bem aceito pelo público, o Pelas Ruas alinha o interesse do grupo em informar para transformar. De acordo com Andiara Petterle, vice-presidente de Produto e Operações do Grupo RBS, o aplicativo permite mapear os problemas e carências da região, entender porque eles ocorrem e cobrar ações efetivas do poder público. Também é uma plataforma rica, permitindo ao público enxergar as falhas e tomar parte da solução.

Andiara Petterle completa afirmando que o mapa demonstra a atuação do jornalismo da RBS, fazendo parte do processo de para uma cidade melhor. As marcas do grupo RBS têm a responsabilidade de adaptar seu conteúdo de acordo com as publicações dos usuários, que passam a ter um papel fundamental na construção de uma sociedade mais igualitária.

O Pelas Ruas

É gratuito e está disponível para aparelhos equipados com sistema operacional Android e IOS. O aplicativo desenvolvido pelo grupo de Duda Melzer pede que usuário faça cadastro ou login pelo Facebook. Depois de fazer o login, o usuário pode enviar as fotos da própria aplicação ou da galeria do celular.

Além da descrição, o usuário pode indicar sua localização por meio do GPS ou caso não esteja mais no local, pode indicá-lo no mapa. O post é avaliado pelos administradores e se tudo estiver de acordo ele estará visível para outros usuários.

Fotos e textos irrelevantes ou que ofendam alguma pessoa, crença ou raça não serão aceitos. Quando a publicação é aprovada, o app notifica o autor, que também é alertado quando outros usuários acessam ou comentam o post.

Um pouco de Duda Melzer

Duda Melzer é o apelido de Eduardo Sirotsky Melzer, um importante empresário da no meio da comunicação, nascido em Porto Alegre. Atualmente ele é presidente e chairman do Grupo RBS, onde ingressou em 2004. Passados 4 anos ele chegou a vice-presidência e em 2016 assumiu a presidência do grupo.

Além de estar a frente do Grupo RBS, Duda Melzer é fundador – presidente da e.Bricks e sócio da e.Bricks Ventures, ambas atuantes na área de comunicação tanto Brasil como nos Estados Unidos.

 

Estudo revela que asiáticos, negros e hispânicos, têm mais riscos de terem doenças cardíacas com o peso normal do que pessoas brancas

Pessoas de ascendência hispânica, afro-americana e asiática são de alto risco de fatores relacionados à doença cardíaca, mesmo se não tiverem sobrepeso ou obesidade, de acordo com o autor principal de um novo estudo.

A pesquisa, publicada no início de maio no Annals of Internal Medicine, descobriu que, entre pessoas de peso normal, os sul-asiáticos eram duas vezes mais propensos do que os brancos de terem fatores de risco para doenças cardíacas. Essa probabilidade foi 80% maior para os hispânicos e 50% para negros e pessoas de origem chinesa, revelou a pesquisa.

“Uma das mensagens do artigo é que, ao usar o excesso de peso e a obesidade como critério principal, os clínicos provavelmente perderão um grande número de pessoas, especialmente nas populações étnicas, que estão em alto risco, mas têm peso normal”, afirmou Unjali Gujral, autor do estudo.

O índice de massa corporal (IMC), uma relação de altura / peso, é usado para determinar se alguém está com sobrepeso ou obeso. O Grupo de Trabalho de Serviços Preventivos dos EUA, um grupo independente de especialistas em saúde, recomenda que os médicos usem essa proporção como principal critério para detectar fatores de risco associados a doenças cardíacas e diabetes, de acordo com o estudo

Esses fatores incluem baixo HDL (muitas vezes chamado de colesterol bom); Triglicérides elevados (gordura encontrada no sangue); Glicose elevada (açúcar no sangue); E pressão alta. A presença de pelo menos, dois desses fatores alterados, traduz um maior risco de ter doença cardíaca, diabetes ou acidente vascular cerebral.

Mas um número de IMC por si só pode não ser um padrão de tamanho único para decidir se deve verificar se há risco de doença cardíaca. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o IMC normal como 18,5 a 24,9; Sobrepeso como 25,0 a 29,9; E obesos como 30 ou mais.

Os intervalos diferem ligeiramente para os asiáticos do Sul e os chineses, dois grupos onde se sabe que a doença cardíaca e o diabetes ocorrem com IMCs mais baixos. Para eles, o normal vai de 18,5 a 22,9; Sobrepeso de 23,0 para 27,4; E obesos, 27,5 e superior.

O resultado variou nas diferentes raças étnicas, os resultados do IMC foram menores: 22,9 para negros, 21,5 para hispânicos, 20,9 para chineses e 19,6 para sul-asiáticos, segundo o estudo. Todos foram considerados em peso normal nas escalas de IMC.

“Em suma, o que isso nos diz é que uma pessoa de uma raça, grupo étnico minoritário, poderia ser mais propenso do que um indivíduo branco e ainda têm a mesma quantidade de fatores de risco para  saúde do coração”, disse Gujral.

Os pesquisadores derrubaram dados de 7.617 pessoas retiradas de dois estudos separados. Entre eles estavam 803 americanos chineses e 803 sul-asiáticos, que representavam países como Índia, Paquistão, Nepal, Bangladesh e Sri Lanka. Ele também incluiu 2.622 brancos, 1.893 negros e 1.496 hispânicos. Gujral disse que a idade dos participantes começou aos 45 anos. O estudo foi conduzido pela Universidade Emory em Atlanta e pela Universidade da Califórnia, em São Francisco.

Promoções e Qualificação na Agency Scope 2016 mostram resultado da agência de José Henrique Borghi

A agência Mullen Lowe Brasil, recentemente promoveu dois nomes premiados do mundo da publicidade para a Direção de Criação da mesma.

Os dois promovidos da empresa, que tem como um de seus co-CEO e CCO o publicitário José Henrique Borghi, foram Eduardo Salles e Gil Pinna, ambos com larga experiência em publicidade e propaganda, além de serem premiados no Brasil e no mundo nos principais eventos de publicidade.

Gil Pinna já criava campanhas para clientes da Mullen Lowe há 8 anos e tendo mais de 15 anos de experiencia no ramo.

Eduardo Salles, também com 15 anos de experiência em publicidade, já possuía o cargo de Diretor de Criação na filial do Rio de Janeiro da Mullen Lowe e agora assume o mesmo cargo na matriz paulista da empresa, um ano e meio após ter ido para essa filial.

Essas promoções são reflexo do bom momento da Mullen Lowe Brasil, antigamente conhecida como Borghi Lowe.

Agency Scope 2016

A agencia de José Henrique Borghi, pelos resultados das pesquisas de Agency Scope de 2016, passa por um novo crescimento e se mantem como sendo um dos grandes destaques da área de publicidade pela terceira vez consecutiva. Alguns de seus destaques são quanto ao envolvimento da diretoria nos projetos de seus clientes, o sucesso no retorno de investimento e líder em rentabiliza-lo, e ainda desenvolvedora de ideia convergentes.

A Agency Scope é um evento que ocorre a cada dois anos, reunindo empresas, profissionais, publicitários e executivos. O grande foco do evento é verificar as tendências para os próximos anos, além de avaliar, por meio de pesquisas, a qualidade e o desenvolvimento das empresas.

O primeiro trimestre da Mullen Lowe

Os bons resultados da Mullen Lowe, empresa em que José Henrique Borghi é CO-CEO e CCO junto de André Gomes, na Agency Scope são facilmente observáveis no primeiro trimestre da agência.

Ao final do primeiro trimestre do ano a agência conquistou cinco novos clientes, do qual apenas uma já havia trabalhado com eles.

As empresas das quais a Mullen Lowe passará a cuidar das contas publicitárias são a Coral, Harley Davidson, Casa & Vídeo, Sparlack e Hammerite. Apenas a Casa & Vídeo já havia trabalhado com a agência de José Henrique Borghi.

José Henrique Borghi é um dos publicitários mais reconhecidos e relevantes do país, colecionando um grande número de prêmios nacionais e internacionais no meio publicitário. Tendo prêmios nos mais famosos festivais do mundo, assim como o festival de Cannes, London e The New York Festival, e o brasileiro prêmio da Abril.

O publicitário destacou, falando do sobre o sucesso do primeiro trimestre do ano, a importância de adquirir novos clientes e a oportunidade criativa que é de ter áreas tão diversas para trabalhar, ainda mais com grandes marcas como as que conquistaram, por exemplo, a Harley Davidson.

Além disso o Co-CEO da Mullen Lowe destacou que já estão trabalhando com os novos clientes, com alguns projetos já aprovados e visão fazer ainda mais campanhas para essas contas publicitárias que agora estão em suas mãos.

 

 

 

Dicas simples para auxiliar na luta contra o alcoolismo

Resultado de imagem para alcolismo

O consumo de álcool é um dos maiores causadores de mortes de homens e mulheres de todas as idades. Os dados estatísticos surgem com várias ramificações como consequência deste grande mal da humanidade. Ao vício do álcool, estão agregados dados estatísticos de morte por enfermidades como o câncer, infarto, cirrose, complicações renais entre outros malefícios físicos e mentais causados por esse vício.

O vício do álcool também tem ligação direta com um grande número de mortes no trânsito, por assassinatos e por ser porta para outros vícios mortais, por exemplo, muitos viciados em álcool geralmente são fumantes.

Em vista de tudo isso, algumas alternativas simples para quem sofre com o vício do álcool serão apresentadas, para quem quer ajudar algum familiar ou conhecido a se livrar deste vício que destrói famílias e sonhos.

O maracujá sul, é um alimento bom para quem está sofrendo com o vício do álcool. Suas propriedades são benéficas para a saúde do sistema nervoso. Ele pode ser encontrado em farmácias de manipulação e ervas naturais e deve ser preparado como um chá de infusão das folhas desta planta. Deve ser tomado 3 xícaras deste chá ao dia por no mínimo 1 mês.

O limão possuí muitas propriedades benéficas para a saúde e que podem ser comprovadas em vários estudos recentes sobre essa maravilhosa fruta. Ele possui um grande potencial de desintoxicação do corpo e também a ele, pode ser agregado uma função psicológica relativo a sua percepção de paladar.

Quando uma pessoa estiver com necessidade de consumir bebidas alcoólicas, o limão pode oferecer um certo contentamento psicológico ao ser consumido. Quando simplesmente uma pessoa com extrema vontade de consumir álcool ou até com crise de abstinência, chupar um limão, a vontade de consumir álcool tende a ser manipulada pelo fator psicológico relativo a percepção gerada pelo gosto azedo do limão. Isso ajuda também a saciar na vontade de fumar um cigarro. O ideal é consumir o limão 3 vezes ao dia por 3 meses de maneira regrada.

Nesse caso o limão está sendo utilizado como uma forma de remediar e ajudar no tratamento de pessoas viciadas, porém o ideal, é que qualquer pessoa independente de qualquer vício ou necessidade, consuma o limão diariamente. A prevenção ainda é o melhor remédio. Pode ser usado qualquer tipo de limão para essa forma de auxílio no tratamento contra o alcoolismo.

De uma forma geral, pessoas que passam por um tratamento contra o alcoolismo tem necessidade de alimentos que fazem parte do complexo B. O limão e o maracujá sul fazem parte assim como outros alimentos do complexo B de vitaminas.

Conversar muito com quem sofre com o vício do álcool é extremamente fundamental e pode ser visto como uma forma de tratamento muito efetivo, A pessoa viciada tem que saber que é uma coisa ruim pra ela e que ela não está sozinha nesta luta. Ela deve entender que isso não é visto como abominável por quem está ao seu redor, mas sim, o viciado deve ter a certeza que essas pessoas próximas realmente se preocupam com ela e querem ver o seu bem.

Lutar contra qualquer tipo de vício é uma luta que se trava diariamente e internamente. A pessoa que passa por isso deve ser compreendida e da melhor forma possível ser tratada. A paciência e a dedicação dos viciados e dos familiares é fundamental para uma melhora a curto, médio e longo prazo dessa pessoa.

Veja também: Uma reportagem sobre alcoolismo.