Especialistas explicam como processo de emagrecimento pode ser dificultado pelo cérebro

O cérebro comanda tudo em nosso corpo, inclusive o processo de emagrecimento, informou o médico endocrinologista Simão da Silva Bastos. Isso ocorre devido ao tempo que ele leva para processar que o corpo está emagrecendo.

A genética também é um fator que influencia nesse processo, porém não é uma sentença o fato da família ser obesa os filhos também serem, por isso que os médicos recomendam que cada pessoa faça uma dieta diferente da outra. Cada organismo responde de forma diferenciada de pessoa para pessoa.

O hormônio grelina, conhecido como o hormônio da fome e a leptina, hormônio que controla a saciedade funcionam de forma diferente em cada pessoa.

O corpo inicia o processo de envelhecimento após os 25 anos e aos 30 é que as pessoas começam a sentir essa diferença. Quando se tem 20 anos, perder dois quilos pode ser tarefa fácil, e aos 30 pode ser um grande desafio. Isso ocorre pelo fato do metabolismo ir desacelerando e as pessoas manterem seus ritmos alimentares sem atividade física, a tendência é o aumento de peso.

Outro fator é de quem tem mais peso perde mais peso, e se a composição do corpo for maior de músculo do que de gordura, a perda de peso é mais facilitada devido ao fato dos músculos consumirem energia.

O estilo de vida que a pessoa tinha antes de iniciar o processo de emagrecimento também é muito importante.

As doenças hormonais como a tireoide pode atrapalhar o processo de emagrecimento, assim como a deficiência de testosterona em homens, que sentirão dificuldades na produção de músculos e a perda de gordura.

Os exames laboratoriais devem ser realizados antes de iniciar o processo da perda de peso.

A motivação que muda de pessoa para pessoa também faz diferença, o importante é se esforçar e não desistir de tentar e claro, sempre procurar uma ajuda médica para receber as orientações específicas de um profissional.

O especialista citou algumas dicas para ajudar, como traçar metas tangíveis e a atividade física mesmo sem intensidade, preferir a ingestão de comidas de verdade, evitar alimentos que não são saudáveis. O especialista ressaltar que podemos comer um alimento a mais de vez em quando e aprender a compensar os exageros.